Dicas simples para cultivar orquídeas em casa

Confira algumas dicas e saiba como cultivar, podar e manter a orquídea e saudável, mesmo nas áreas internas

Texto: Natália Sá | Foto: Divulgação


Quais são os tipos de orquídeas ideais para áreas internas?

Todas as espécies que são comercializadas em grandes centros: Phalaenopsis, Cymbidium, Dendrobium, Oncidium, Cattleya.  Atualmente a espécie Vanda também tem se tornado muito popular.

Qual é a quantidade de água e o tempo de rega?

Deve-se observar a luminosidade e borrifar água – preferencialmente filtrada, para evitar o contato do cloro em excesso – nas folhas diariamente ou, no máximo, em dias intercalados. Também é importante deixá-las longe de correntes de ar. Elas não suportam ventos.

Que tipos de vasos são mais recomendados?

Embora as orquídeas precisem de muita umidade, elas jamais podem ficar em contato direto com a água. É recomendável que os vasos tenham excelente
drenagem e, preferencialmente, sejam de material natural como barro (cerâmicas cruas).

Quais devem ser os cuidados ao trocar de vaso?

As orquídeas não são tão sensíveis quanto costumamos pensar. Basta tomar cuidado para não quebrar folhas e flores, mas as raízes já amarronzadas (murchas ou secas) podem e devem ser podadas. Aí basta acrescentar substrato leve (fibra de coco e esfagno).

Fique por dentro

• Manchas nas folhas requerem atenção. O motivo pode ser falta de luminosidade (principalmente quando a tonalidade de verde estiver muito fechada).
• As orquídeas são bem-vidas dentro de casa, mas é importante estarem perto de luz natural.
• Manchas circulares escuras indicam a presença de fungos e, em casos extremos, bactérias. Já o amarelamento das folhas se deve ao excesso de luminosidade. A
canela é um ótimo cicatrizante natural. Além disso, é fungicida, antibacteriana e anti-inflamatória. Depois de qualquer poda, ela ajuda a inibir a proliferação de
microrganismos que possam debilitar as orquídeas.
• Se tiver mais de uma espécie de planta em casa, é importante manter os instrumentos de poda sempre limpos e desinfetados para não transmitir doenças de uma planta para a outra. Quem mora nos andares mais altos deve ficar atento às correntes de ar, que costumam ser mais fortes.

Revista Decorar Mais Por Menos | Ed. 71